quarta-feira, agosto 01, 2007

Grandes Vinhetas # 18
(Post tremendamente pretensioso)

Retiradas de "O gás do Kuko Jomon - As Aventuras de Spirou e Fantásio" (1970) Fournier.

Tindersticks - For those...

Terminou, há duas semanas, a publicação semanal de vinte títulos da série “As Aventuras de Spirou e Fantásio”, numa parceria do jornal Público com a Asa. No meio dessa bela listagem figuravam 9 livros inéditos em Portugal que, necessariamente, aguçaram a atenção de todos os coleccionadores da série, tornando por vezes a espera pela quarta-feira desesperante. As vinhetas acima fazem parte de um dos álbuns que, pela primeira vez, foram editados em português, ainda que com cerca de 37 anos de atraso para a versão original.
Não sendo um álbum brilhante (longe disso!), "O Gás do Kuko Jomon" combina um argumento razoavelmente interessante com a qualidade inquestionável do desenho de Jean-Claude Fournier, sucessor de Franquin na liderança da série por sugestão deste ao editor Delporte, que na altura (1968) chefiava a Revista Spirou. Franquin (de quem já falamos por exemplo aqui ou aqui) abandonaria de vez a série para se dedicar a Gaston Lagaffe (que também já teve direito a figurar na minha lista das Grandes Vinhetas, aqui e aqui) e a Marsupilami, ambos criados ainda durante o "Período de Ouro" de Franquin à frente das histórias de Spirou e Fantásio.
E, sobretudo por isso, Fournier merece todo o respeito dos leitores de Spirou porque, apesar de nunca ter atingido o brilhantismo dos álbuns de Franquin, conseguiu manter a série num nível elevado (embora, aqui e ali, um pouco ecológica e moralista em excesso) depois de esta ter visto partir aquele que tinha transformado o "repórter vestido de paquete" numa referência mundial da BD, durante as década de 50 e 60. Para além disto, e à excepção do primeiro livro de Fournier na série – “O Fazedor de Ouro”, Marsupilami e Gaston Lagaffe não mais puderam ser utilizados no enredo, uma vez que Franquin guardou os direitos das personagens e levou-os consigo para novas paragens. E é neste contexto, tentando criar novas figuras que ultrapassassem o carisma das duas já referidas, que Fournier cria por exemplo Itoh Kata, o cientista japonês que colide com o Conde de Champignac nas vinhetas acima, (também ele criação de Franquin mas que, ao contrário de Marsupilami e Gaston, continuará a fazer parte do enredo), numa postura educada das duas personagens, mas com resultados dolorosos.
É certo que as vinhetas não são particularmente inspiradas, tanto no desenho como na criatividade argumentativa, mas vieram-me imediatamente à cabeça na sucessão de comentários deste quiz que brilhantemente (a parte do pretensioso…) triunfei no Womenage A Trois.
Ao mesmo tempo, como os Tindersticks faziam parte do quiz e os seus ouvintes costumam ser bastante pretensiosos, lembrei-me de oferecer esta canção ao meu amigo Linear P, que foi quem primeiro ma deu a conhecer, há muitos anos atrás, numa versão ao vivo no Bloomsbury Theatre (e, obviamente, apesar de seres um fiel dos Tindersticks, não fazes parte dos pretensiosos!). Na altura, encantei-me de imediato pela canção que, naquela fase da banda de Nottingham, costumava ser a última dos seus concertos. Durante muitos anos procurei a versão original sem sucesso (e tantas vezes incomodei o Linear P para a arranjar...), vindo recentemente a descobri-la como B-side do single Marbles, de Março de 1993.
Aproveito ainda para enviar um abraço do tamanho do Atlântico para o meu amigo Tiago que, em Rochester, acaba de dar mais um passo na sua caminhada para Ministro das Finanças deste cantinho da Europa. Esperamos por ti!!!!

Etiquetas:

4 Carruagens:

Blogger PCS said...

Os meus agradecimentos:)
Fico extremamente contente por teres lembrado. (acho que foi em Espanha que ouviste). De facto a "for those..." do cd ao vivo no Bloomsbury Theatre é uma música fantástica!!! Tive o prazer de ouvir esta música magistralmente bem tocada, quando os vi pela 1ª vez em 1995 na aula magna. Infelizmente o ep Marbles já não se encontra disponível. Estamos a falar de uma edição de 1993 assinada e numerada.
Já agora. Como não ouvia há algum tempo Tindersticks (a vida continua, há tanta banda ainda por descobrir). Resolvi ouvir um pouco hoje. Agora vou ser um pouco "pretensioso"! Lembras-te de paredes de Coura, não lembras:) valeu a pena porque fiquei com os cds assinados...

Grande Abraço,

quinta-feira, agosto 02, 2007 1:10:00 da manhã  
Blogger JRP said...

Espanha? Disso já não me recordo... Baiona, talvez?
Lembro-me como foste doido para Pardes de Coura :-) Mas valeu a pena. Mas diz lá! Já tinhas a versão original?

sexta-feira, agosto 03, 2007 12:16:00 da manhã  
Blogger PCS said...

não! foi em sanxenxo 97 eheheheh pois foi. Não na altura tinha o CD ao vivo só...apesar de ter muitos singles deles, nunca consegui arranjar esse:(
abraço,

domingo, agosto 05, 2007 2:08:00 da manhã  
Blogger JRP said...

Então porquê o :( ? Se nunca tinhas ouvido o original, aqui está ele.

domingo, agosto 05, 2007 3:31:00 da manhã  

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.

Entroncamentos:

Criar uma hiperligação

<< Home