segunda-feira, julho 30, 2007

Jóia

O Porto para lá da estação. A quinta da Bonjóia e a Igreja de Santa Maria de Campanhã, anteontem à noite.

The Cranes - Jewel

O Porto, a altas horas da madrugada.
Prefiro esta gente da noite, suspeita
da hostilidade de uma cidade de arestas, extorsões,
pequenos raptos. Chegam de todas as sombras e cumprem
o destino de ir e voltar, um rumor os espera, as colunas
de treva do anonimato, as praças de recontros fortuitos,
o tráfico de uma droga qualquer que os mantenha vivos.
Páram,
perscutam. A transgressão maior é permanecerem.
E apenas a loucura dos dias os pode constranger.
Aproximam-se e entregam ao silêncio um idioma fulgente,
o cigarro
ilumina-lhes o rosto onde está um sorriso a acicatar
a desordem, a expressão da deriva, um fumo
que se não vê.


Amadeu Baptista (1999) Arte do Regresso

Etiquetas:

1 Carruagens:

Blogger PCS said...

De facto uma jóia!

quarta-feira, agosto 01, 2007 1:50:00 da tarde  

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.

Entroncamentos:

Criar uma hiperligação

<< Home