quinta-feira, dezembro 14, 2006

Ao serviço da prostituição


Maria José Morgado foi colocada ao serviço da única figura feminina que rivaliza em protagonismo com a Virgem Maria neste Natal: Carolina Salgado. A ex-alternadeira foi rapidamente santificada (como de resto já se esperava) a partir do momento em que criticou o inimigo público n.º 1 do país, o meu presidente Jorge Nuno Pinto da Costa. A única razão pela qual ainda não foram postos à venda presépios em que Carolina é a Virgem, é porque não decidiram se S. José será o Barbas ou o Orelhas.
De repente todo o país gira em volta das declarações da senhora, que têm direito a comentário de algumas das mais altas figuras portuguesas. (Infelizmente o facto de estarmos em época de Bolo-Rei terá impossibilitado que o Presidente da República falasse à Nação sobre este importante assunto...)
Ora, como se sabe, esta casta mulher não mente (quem se atreveria a duvidar da palavra de uma representante da mais antiga profissão do Mundo?), e como tal nem vale a pena avançar para julgamento: o presidente do Porto é culpado porque a ex-namorada diz que sim. Que razões teria ela para mentir? OK, além de ser uma forma de ganhar dinheiro fácil? Pronto, e além de ganhar um protagonismo e admiração do grande público como nunca teve? Sim, e além de ser uma forma de se vingar por uma relação que acabou mal para ela? A sério, tirando estes insignificantes motivos, ela não tem nada a ganhar com isto! É puro altruísmo, e, atrevo-me mesmo a dizer, amor à Pátria. Por isso só pode ser verdade!
O parlamento fará horas extraordinárias para aprovar antes do Natal uma lei que permita que a palavra de ex-prostitutas/alternadeiras/strippers seja aceite sempre como prova inequívoca de qualquer tipo de crime. O que prova que o sindicato delas está a trabalhar bem! A nós, biólogos, chateiam-nos sempre com DNAs e essas porcarias.
O Procurador Geral da República já está a ler o livro da senhora (volta, Souto Moura, estás perdoado!), já organizou conferências de imprensa e até já nomeou Maria José Morgado para se tratar deste caso, porque como se sabe, esta senhora não brinca em serviço. Se é para trabalhar ao serviço da ex-prostituta, vamos a isso. Tanto que já dá entrevistas vestida como se vê nesta fotografia...
Señor Zapatero, por favor, no nos quiere anexar?

P.S.: Quero apenas acrescentar que acredito que todas as pessoas nascem iguais e com os mesmos direitos. Acho que Carolina Salgado tem os mesmos direitos que qualquer mulher ou homem em situação semelhante. Acho que por exemplo Catarina Tallon não é mais nem menos que Carolina, e tenho pena que quando acusou o marido de um crime público (e que continua a fazer muitas vítimas no nosso país) não tenha tido o direito a tal atenção por parte da PGR. Acho que Pinto da Costa tem o direito ao bom nome e à presunção de inocência até que se prove a sua culpa, como qualquer outra pessoa acusada de um crime. Acho que se houve tanta pressa em deter para interrogatório uma pessoa como Pinto da Costa, com residência e emprego fixo, também não se devia esperar para deter e interrogar alguém que publicamente assume ter pago para cometer um crime, que não tem emprego e está a morar num hotel (o risco de fuga não será maior?). E acrescento também, que para mim este livro é uma forma de prostituição (daí o título) muito pouco digna, porque uma coisa é vender o próprio corpo do qual cada um tem o direito de dispor, outra é vender a vida privada de outra pessoa.

Etiquetas:

3 Carruagens:

Blogger PCS said...

Muito bem. Adorei a parte final. É por estas e por outras que se mede um país. Há falta de Bragança e de notícias que prejudiquem o norte e instituições do mesmo, vai-se buscar uma fulana que sinceramente e uma P... para lhe dar mais tempo de antena que a cobertura da morte do papa. Agora só falta um grande debate no programa Prós e contras.

sexta-feira, dezembro 15, 2006 10:40:00 da manhã  
Blogger PCS said...

Muito bom o P.S.

sábado, dezembro 16, 2006 5:42:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Naõ sabia que era um puta?,mas foi pela mão do Pinto da Costa que ela foi recebida pelo Papa, ja era uma pessoa de bem, neste caso

quinta-feira, dezembro 21, 2006 11:19:00 da manhã  

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.

Entroncamentos:

Criar uma hiperligação

<< Home