domingo, novembro 05, 2006

Memórias

No meio de um livro antigo de culinária, estava esta preciosidade. São uns biscoitinhos de canela que aprendi a fazer na escola, na 4ª classe, e que depois fiz em casa várias vezes, aos sábados à tarde. Esta folha manuscrita e com um ou outro erro ortográfico, tem muitas manchas, borrões e até carimbos, o que me leva a pensar que terá nascido numa das muitas alturas em que a minha mãe, professora primária, fazia as cópias dos testes com gelatina. Não percebia bem aquele processo na altura, mas lembro-me que envolvia passar os testes com folha de acetato para inverter a imagem, e depois com esse acetato imprimia-se a imagem num tabuleiro com gelatina, onde depois se carimbavam as folhas vazias para copiar o teste. Eu e a Papi assistíamos fascinadas a estes momentos, e no fim tínhamos como recompensa o direito de usar um dos cantinhos livres da gelatina para fazermos as nossas cópias. A Papi faria certamente algo artístico, eu limitava-me a fazer borrões, frustrada por não ter habilidade para mais. Dois deles sobreviveram no fundo desta folha, com as minhas iniciais e a data (obviamente acrescentadas a caneta porque na altura não conseguia inverter as letras). Era uma espécie de carimbo que formalizava os "meus documentos".
Os biscoitos continuam a ser óptimos, mesmo feitos com farinha integral. Mas não sabem bem aos mesmo se não forem guardados naquela caixinha chinesa...

9 Carruagens:

Blogger Luzinha said...

Engraçado, ainda há pouco tempo (qd estava em arrumaçoes) vi desses papeis...a minha mãe tb foi professora e tb usava esse método...lembro-me que gostava do cheiro...
Boas recordações, bons tempos :)

domingo, novembro 05, 2006 10:34:00 da tarde  
Anonymous ziza said...

memórias em papel e receitas andam sempre de mãos dadas:p
descreveste um processo duplamente delicioso!

domingo, novembro 05, 2006 10:43:00 da tarde  
Blogger PCS said...

Lembro-me perfeitamente do tabuleiro de gelatina "roxa" da escola primária e de um dia "sabotar" o trabalho à professora, o que me valeu umas quantas réguadas.

segunda-feira, novembro 06, 2006 9:53:00 da manhã  
Blogger lucho said...

Parabéns pelo blog. De excelente qualidade e ainda por cima és do Porto como eu! Saudações azuis e brancas. Podes passar pelo meu tb se quiseres.

segunda-feira, novembro 06, 2006 2:51:00 da tarde  
Blogger GPC said...

Eis aqui um link onde supostamente se explica como fazer (não percebi bem)
http://tilz.tearfund.org/Portugues/Passo+a+Passo+21-30/Passo+a+Passo+24/Bandeja+Duplicadora+de+Gelatina.htm

segunda-feira, novembro 06, 2006 3:51:00 da tarde  
Blogger PdV said...

Pequena correcção: usava-se papel químico, e não acetato. que boas recordações, pequenita!

segunda-feira, novembro 06, 2006 7:13:00 da tarde  
Blogger Mica said...

Nunca consegui perceber como era! Mas realmente lembro-me do papel químico. Bons velhos tempos em que as fotocópias eram caras, a criatividade era o único remédio! Que bom ver que mais gente se lembra deste método. E afinal, Papi, o que fazias? De certeza que era alguma coisa melhor que os meus carimbos, mas não tão bom como os biscoitos! ;)

segunda-feira, novembro 06, 2006 7:32:00 da tarde  
Blogger JRP said...

Pois. Dos químicos também me recordo.
Nos acetatos (poucos que eram muito caros) a minha mãe fazia-os à mão com canetas também elas caríssimas.
Os biscoitos estavam óptimos.

segunda-feira, novembro 06, 2006 7:53:00 da tarde  
Blogger Mica said...

GPC, obrigada, mas também não percebi bem como era.

segunda-feira, novembro 06, 2006 11:55:00 da tarde  

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.

Entroncamentos:

Criar uma hiperligação

<< Home