sexta-feira, novembro 03, 2006

Envelhecer (enfim)

A avenida Rodrigues de Freitas, antiga Rua do Reimão, como a vi, ainda há pouco.
"Para que tudo ficasse consumado, para que me sentisse menos só, faltava-me desejar que houvesse muito público no dia da minha execução e que os espectadores me recebessem com gritos de ódio."
Camus, Albert (1942) O Estrangeiro

A luz acesa, que emana da janela do outro lado da rua, chama encantadoramente por mim.
Entre a escolha de responder ao impulso ou renunciar ao instinto, observo o tempo a passar devagar, através da lenta ligeireza do amarelecimento das folhas e da velocidade invejável dos bólides que cruzam incessantemente o caminho até ao outro lado da rua.
Continuamente, a tília a meu lado sussurra baixinho números sem fim, a cada carro que passa rápido, numa contagem tão interminável como veloz, tão angustiante como o choro de alguém que perdeu outrem, lá ao fundo no Prado do Repouso.
Neste caminho, velha estrada medieval urbanizada há 120 anos por um tal de João Carlos de Almeida Machado (engenheiro que a cidade tratou de esquecer!), sobram luzes e cores, azulejos e ferro, e sobretudo árvores, testemunhas vivas de anos de mudança, contados nos anéis do firme e espesso tronco e no sussurro que perpassa a quem passa atento, entre a folhagem prateada e os ramos antropomórficos das tílias.
Acabarei por terminar os meus dias como anel de uma árvore ou como folha amarela de uma tília, pela inata inabilidade de agarrar com força as luzes coloridas da vida, suavemente cerrando as pálpebras como quem sopra uma vela depois do seu filho adormecer.


Revista de blogs:
1 - Como habitualmente, recomenda-se a leitura do
Avatares de um desejo. Mais uma na mouche!
2 - Hilariante a série "Grandes Portugueses" no
Arioplano.
3 - Mais um excelente trabalho do Carlos Romão no
Cidade Surpreendente, com a digitalização das fotografias de Domingos Alvão por alturas da inauguração do Coliseu do Porto.
4 - Perspicaz a leitura de Paulo Araújo sobre a ausência do Outono fora das cidades, no sempre óptimo
Dias Com Árvores. Definitivamente, a ler!
5 - Post a um bigode da imortalidade, no
Cromos da Bola.
6 - E, que isto já vai longo, adormecer ao som dos Smiths. Canção lembrada (há quanto tempo não a ouvia...) pelo
Estado Civil.

Um enorme beijinho de parabéns do Porto para NY! Temos saudades tuas, Kate!

Etiquetas: ,

3 Carruagens:

Anonymous O Rochense said...

O' meu, nao percebi puto do que isso quer dizer. Sou mesmo inculto. Vou mas e' soprar a vela e adormecer.

sexta-feira, novembro 03, 2006 4:47:00 da manhã  
Anonymous Kate said...

Obrigada pela referencia ao meu aniversario :-)
Fico mt contente por saber que te lembraste...
Beijinhos

sexta-feira, novembro 03, 2006 5:35:00 da tarde  
Anonymous guardabel said...

Ah, então tu é que eras o gajo do Avenida dos Aliados! Já podias ter dito! :)

A foto está fabulosa.

domingo, novembro 05, 2006 3:41:00 da tarde  

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.

Entroncamentos:

Criar uma hiperligação

<< Home