quinta-feira, setembro 07, 2006

Constructivismo Russo

Supremus n.º 58, Kazimir Malevich, 1916
"Os desurbanistas, uma turma muito mais doida, preferiam a dispersão total, propondo a instalação de moradias móveis pelo campo afora e, eventualmente, a demolição de Moscou" - in Hall, Peter (1988) Cidades do Amanhã.
Nada melhor que misturar a têmpera humorística britânica, o planeamento urbano soviético e as traduções adocicadas brasileiras para terminar a noite com um sorriso nos lábios. Malevich e os demais, ainda que interpretados ao som de samba, serão para sempre assim. Olhando lá de cima, cá para baixo, como um satélite, em reproduções imensas de ortofotomapas.
Lá fora, o nevoeiro oculta a paisagem sobre o Douro e a aragem fria lembra a proximidade crescente do Outono. Up above, a imagem lembraria apenas uma difusa pintura nebulosa, desconstruída, disforme.
Amanhã é outro dia.

Etiquetas:

1 Carruagens:

Anonymous Anónimo said...

Numa análise primária outonal, observo antes um perfil a tocar um violino num gesto de supremo encanto pela luz e cor.PCS

quarta-feira, setembro 13, 2006 9:49:00 da manhã  

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.

Entroncamentos:

Criar uma hiperligação

<< Home